(cor sim, cor não)

Eu sou uma apaixonada por listras, desde sempre. Já tive muitas peças listradas dentro do armário, camisas, camisetas, biquinis, sapatos, inclusive um scarpin lindo que guardo até hoje com a maior pena de dar. Uma viciada mesmo, não sei o que me faz ter esta, não digo compulsão ou patologia, mas sim uma preferência. A última compra foi uma alpargata linda e baratinha, que só falta sair sozinha de casa de tanto que uso.

(abusando da cor)

(abusando da cor)

Neste look abaixo Viviana Volpicella, musa e stylist da Vogue Nippon, usa e abusa do listrado e de cores.

(até o sapato é listrado)

(até o sapato é listrado)

Mas é principalmente o listrado P&B que me encanta. Uma vez comprei uma camiseta, na verdade duas iguais, sim duas iguaizinhas, não queria perder a oportunidade, levei meses para achar e quando achei não podia deixar passar. Isso já se tornou público e notório, no natal de 2012 meu irmão me deu de presente uma regata, e arrematou com a frase “Achei a tua cara!”, e era mesmo, no dia seguinte já estava usando.

(listras, listras e mais listras)

(listras, listras e mais listras)

Ao contrário do listrado colorido, a listra P&B é muito fácil de compor com outras estampas e cores se tornando um grande coringa no armário. Costumo usar com florais coloridos, onça, bolinhas, a regra básica para misturar é que alguma cor seja comum às duas estampas, sem ficar com cara de Agostinho Carrara (a.k.a. Pedro Cardoso) na A Grande Família.

(dia, noite, formal ou informal, não tem erro, vá de listrado)

(dia, noite, formal ou informal, não tem erro, vá de listrado)

Percebi que as peças que uso são sempre top e nunca bottom, talvez porque tinha medo de me parecer com o Obelix, aquele que tomou a poção mágica quando bebê e ficou grande, gordo e forte, da série de livros do personagem Asterix. Enfim, tenho visto há algum tempo uma nova tendência, não sei se posso chamar de tendência, mas tenho visto calças listradas e tenho desejado muito, mas minha condição física de baixinha de perna grossa não me permite e me contento em apenas admirar.

(Taylor Tomasi Hill, stylist e curadora do Moda Operandi, pode e deve abusar desta calça listrada)

(Taylor Tomasi Hill, stylist e curadora do Moda Operandi, pode e deve abusar desta calça listrada)

Na década de 20 Coco Chanel imortalizou o listrado navy, tirou do guarda roupa masculino, mais precisamente dos marinheiros franceses. Jean Paul Gualtier seguiu a regra. E o mundo adora e copia.

(Chanel, JPG e o todo mundo)

(Chanel, JPG e o todo mundo)

Na decoração, minha paixão começou por causa de um tapete da IKEA, loja sueca de móveis bacanas por um um preço acessível (mesmo em Real, pasmem!). Eu tinha acabado de me casar e estava vidrada em tudo que se relacionava a decoração, e aquele tapete me chamou a atenção, e comecei a ver em vários blogs de decoração que ele era o ponto que fazia a diferença.

(tapete Stockholm da IKEA)

(tapete Stockholm da IKEA)

Mas esta diferença não ficou apenas no tapete, eram almofadas, cortinas, toalhas de mesa, paredes, poltronas e tudo o que podia combinar com a decor, e em todos os cômodos. A única regra era ter um listrado para chamar de seu.

(sempre tem espaço para alguma peça listrada na sua decor)

(sempre tem espaço para alguma peça listrada na sua decor)

(até a lavanderia pode receber um belo tapete listrado)

(a lavanderia também pode receber um belo tapete listrado)

(o colorido também é bom)

(o colorido também é bom)

(não tenho as referências das fotos, muitos anos de pesquisa e não anotei aonde elas foram achadas.)

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s